segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Dos blogs que se foram

"Lonely Soldier go home,
Lonely, but never alone..
Good eyes, see nothing to shoot
Good feet, feel good, givin' up good boots "

Eu estou vivo? Vivo!
E estar vivo é tão bom assim quando todos os outros caíram no campo de batalhas?
Eu respiro a fumaça que um dia foi alma, parte daqueles que já não escrevem. Todos os nomes lapidados em mim agora são tatuagens nos vincos da terra.
Todos que me emocionaram congelaram no tempo, dormiram nas horas, despedaçaram-se alhures. Todos são plaquetinhas de metal que já não sonham. A mulher de raios e flores, a poetisa com desabafos da lua, o bom menino crítico e sereno, as insanidades e inquietudes de Bárbara, as lembranças cansadas de quem já não me esquecia, as bruxas, as ladras e os vampiros, todos eles deitados. Dormindo?

Não, não dormem, criança, porque já não sonham. Eles todos se foram e você ficou.
Ficou feito Anjo Maldito que é. Imortal em sua solidão tão sublime quanto asquerosa. Você ficou, condenado a ficar, condenado a ser. Anjo amaldiçoado, você ficou porque maldições não se quebram e anjos não morrem. Jamais.

3 comentários:

  1. Eu tbm fiquei =)
    Darwen.

    ResponderExcluir
  2. sem querer estragar a poesia, mas já estragando:
    vc ficou pq tem vontade de verdade de fazer o blog - e faz bem - oras!
    não que os outros fossem ruins (não os conheço), mas persistência/paciência nesse meio virtual é pra poucos...

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu quero voltar a fazer blog, mas não tenho tempo. Agora estou fazendo faculdade e um dos meus trabalhos, é fazer um blog. Chega a ser cômico. Deixo de escrever no meu e agora sou obrigada a escrever de novo, mas agora não pode ser mais sobre a minha vida, o que é bom, eu acho...

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário.